Verdades e mentiras sobre OsteoporoseDia 20 de outubro marca a data de combate mundial contra este mal

Segundo uma pesquisa da Brazilian Osteoporosis Study (Brazos), realizada este ano, cerca de 90% dos brasileiros já ouviram falar sobre osteoporose, mas desconhecem a prevenção e acreditam que ela seja natural do envelhecimento e inevitável.

As dúvidas que rondam a doença capaz de deixar os ossos mais frágeis e aumentando o risco de fraturas leva a população ao diagnóstico tardio e à falta de orientações para agir diante do quadro. Logo, esclarecer todos os mitos significa mais saúde e qualidade de vida. Dr. Salo Buksman, especialista no assunto no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), explica alguns pontos importantes.

O dia 20 de outubro marca a data de combate mundial contra este mal, que de acordo com a Organização Mundial de Saúde, apresenta índices de crescimento significativo à medida que a população cresce e envelhece. Segundo a OMS, a osteoporose está atrás apenas das doenças cardiovasculares como um problema de saúde global. Informar para combater é o grande desafio.

Quem não gosta de leite apresenta maior risco de ter osteoporose?

Não. Uma das dicas de prevenção da doença é preocupar-se com a ingestão mínima de cálcio necessário para manter os ossos saudáveis. São recomendados 1.200 mg por dia. E para quem não gosta de leite é só recorrer a outros laticínios como queijo, por exemplo.

Osteopenia é a doença precursora da osteoporose?

Exato. Classifica-se osteopenia quando a massa óssea é de 10% a 25% menor que a considerada normal. Mais do que isso, classifica-se como osteoporose. Recentemente a atriz internacional Gwyneth Paltrow foi diagnosticada com a doença e especialistas afirmam que a dieta macrobiótica seguida por ela há cerca de 10 anos é um fator relevante neste resultado. Popular entre as famosas, o cardápio consiste em vegetais, grãos e frutas com pequenas quantidades de peixe. Laticínios e carne vermelha não entram no cardápio.

Dietas ricas em proteínas promovem perda óssea?

As pessoas que optam por uma alimentação rica em carne não precisam ter preocupação extrema com a osteoporose, mas devem estar cientes da importância de incluir em sua dieta gorduras animais complementares, com bastante cálcio, e uma variedade de outros alimentos integrais preparados corretamente. É preciso adotar diariamente um cardápio variado para fornecer ao organismo os diversos nutrientes necessários para o processo complexo que mantém a integridade de nossos ossos.

A osteoporose não tem cura, portanto não pode ser tratada?

A osteoporose não tem cura, mas o tratamento deve ser feito por médicos especializados capazes de dar orientações sobre medicamentos capazes de estabilizar o quadro da doença ou melhorar o problema. Isso significa evitar maiores complicações e reduzir significantemente o risco de fraturas.

Quem tem osteoporose não pode praticar atividade física?

Pelo contrário. Praticar exercícios físicos é essencial. Neste caso, os exercícios devem ter impacto mínimo. Caminhada é a atividade mais recomendada.

A osteoporose é doença tipicamente feminina?

Mulheres têm mais osteoporose que os homens, pois tem os ossos mais finos e mais leves e apresentam perda importante durante a menopausa. No entanto, homens com deficiência alimentar rica em cálcio e vitaminas estão sujeitos à doença. Inclusive, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) criou o Programa de Osteoporose Masculina (PROMA), desde março de 2004, com o objetivo de quantificar as vítimas da doença para tratá-las e estudar sua incidência.

Devo me preocupar com a osteoporose somente após a menopausa?

Não. O nível de cálcio no organismo é de fato menor após a menopausa, mas a sua incidência não está ligada a esta fase. Sua prevenção deve ser preocupação ao longo da vida.

A osteoporose é hereditária?

Não significa dizer que se o histórico familiar é favorável à osteoporose que todos vão desenvolver a doença. Mas é importante, sim, identificar se os pais são portadores de osteoporose. Em caso positivo, deve-se manter cuidado redobrado na prevenção da doença. Explicação: a vitamina D é mais eficiente na absorção do cálcio em algumas pessoas do que em outras e essa característica é hereditária. Descendentes de pessoas que tem menor capacidade de absorção do cálcio no organismo e apresentaram osteoporose quando adultas tem maior probabilidade de apresentar a doença. Mas nada que bons hábitos alimentares não possam mudar este quadro.

O sol é importante no combate à doença?

Verdade. Expor-se à luz do sol sem filtro, durante 15 minutos todos os dias, é muito importante. O sol deve incidir sobre a face, tronco superior e braços. Atenção: deve-se evitar o sol após às 10 horas.

O diagnóstico da doença, na maioria dos casos, é feita após uma fratura?

Trata-se de uma doença silenciosa, por isso, na maioria dos casos, só é identificada após algum tipo de fratura. Vértebras, fêmur, úmero e pequenos ossos periféricos são os casos mais comuns de fraturas. Este quadro quando não tratado pode tornar-se uma doença que reflete na qualidade de vida da pessoa.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *