Rodoanel em São Paulo

Mais de 100 mil caminhões já passaram pelo Rodoanel. Apenas oito dias após inauguração, 320 mil veículos utilizaram a nova rodovia e deixaram de passar pela Capital

Em apenas oito dias após a abertura ao tráfego, o Trecho Sul do Rodoanel já registra movimento superior a 320 mil veículos em seus 61,4 km. Até esta quinta-feira, dia 8 de abril, um terço desse contingente era formado por caminhões, que já utilizam a nova rota para seguir ao interior do Estado ou litoral paulista sem passar pela Capital. No total, de 1º a 8 de abril, passaram pelo Trecho Sul cerca de 320 mil veículos.

Além dos motoristas que regularmente utilizam as grandes rodovias que cortam a cidade e, que ganharam tempo em suas viagens, a entrega do novo trecho do anel viário Mário Covas trouxe melhorias imediatas no trânsito da capital paulista. Estatísticas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registram no primeiro dia de funcionamento do Rodoanel melhora superior a 70% na fluidez de tráfego na Avenida dos Bandeirantes, conhecida rota de caminhoneiros que seguiam para a Rodovia dos Imigrantes com destino ao porto de Santos.

Para o secretário estadual dos Transportes, Mauro Arce, a tendência é que a utilização do Trecho Sul do Rodoanel pelos caminhoneiros seja crescente. “Os caminhões que possuem outros destinos, que não a capital, não precisam mais entrar em São Paulo. Ganha o caminhoneiro, que não perde tempo em congestionamentos, e a população da Capital, que passa a ter melhor fluidez no tráfego urbano”, considerou.

Mais rapidez e menos poluição – A maior obra viária da América do Sul, o Rodoanel Mário Covas, recebeu R$ 5 bilhões em investimentos e reordena o transporte de veículos de cargas da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), facilitando o escoamento até o porto de Santos sem passar pela Capital. A obra também reflete na redução dos congestionamentos e nível de poluentes na cidade.

Com a inauguração do novo trecho, o motorista gasta apenas 58 minutos para percorrer 93,4 km dos trechos Oeste e Sul do Rodoanel. Vários tempos de viagens foram reduzidos. Por exemplo:
·Da Régis Bittencourt à Anchieta, de 1h30 para 28 minutos. Redução de 69%.
·Da Anchieta a Alphaville/Osasco, de 1h20 para 40 minutos. Queda de 50%.
·Da rodovia dos Bandeirantes para a Anchieta, de uma 1h20 para 45 minutos. Ou seja: a viagem também é 43% mais rápida.

Dúvidas sobre o Rodoanel

Por que o Rodoanel não tem acessos ou retornos?

O Rodoanel é uma rodovia classe “zero” que não permite acesso à pequenas vias, estradas e avenidas, apenas grandes rodovias. Desse modo, além de evitar invasões às suas margens, também reorganiza melhor o tráfego. As rodovias classe “zero” têm um índice de acidentes 70% menor em relação à média das rodovias convencionais (abertas), justamente por inexistir grandes trechos urbanos, a exemplo de grandes vias expressas.

Por que o Rodoanel não tem retornos nem postos de gasolina?

Por ser uma rodovia classe “zero”, não existem postos de gasolina nem retornos. Vale lembrar que o proprietário do veículo que tiver uma pane seca, em qualquer rodovia do país, é multado, de acordo com determinação do Código Brasileiro de Trânsito.

Em caso de pane ou qualquer outro problema no trecho Sul, como o usuário poderá receber o socorro?

Equipes da Polícia Rodoviária Estadual e do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAL) estão à disposição em vários pontos da trecho. Nos primeiros oito dias já foram realizados 431 atendimentos. E até o final do mês entrará em operação um sistema de monitoramento com câmeras para toda a rodovia, que irá acionar o atendimento imediato das equipes do SAU e do policiamento rodoviário.

O Rodoanel Sul vai ter pedágios? A partir de quando?

As tarifas de pedágio só serão cobradas após a concessão do trecho Sul do Rodoanel e a previsão inicial de cobrança é só para 2011.

Quantos guinchos há no trecho sul do Rodoanel?

Há cinco guinchos disponíveis para socorrer os usuários da rodovia.

Qual o telefone de atendimento ao usuário?

É o 0800 055 55 10 e atende 24 horas.

Em que pontos o Rodoanel é iluminado?

Assim como as outras rodovias, a iluminação existe em contornos, trevos e viadutos. Nas outras áreas, a sinalização horizontal e vertical é adotada de acordo com todas as normas técnicas exigidas – tais como os dispositivos que refletem a luz na divisão de pista do asfalto, conhecidos como ‘olho de gato’ – de forma a garantir a segurança das viagens noturnas e/ou em dias com neblina.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *