Apesar das vantagens do carro zero quilômetro, como custos de manutenção mais baixos e garantia de fábrica, há motoristas que preferem comprar veículos usados.

No entanto, como toda compra de um bem usado são recomendados alguns cuidados para evitar problemas e aborrecimentos. O alerta é do Procon de Santo André, órgão vinculado à Secretaria de Assuntos Jurídicos.

Antes de sair em busca do automóvel dos sonhos, o consumidor deve pedir indicações de empresas do ramo a conhecidos. Caso não haja referências, a dica é checar a idoneidade das agências e verificar se possuem reclamações no Cadastro de Reclamações Fundamentadas dos Procons.Também é importante verificar o tempo em que a loja está estabelecida no mercado e se permanece no mesmo local.

Ao fazer a escolha, o motorista deve obter do vendedor as informações necessárias sobre o real estado de conservação do veículo e, principalmente, se há defeitos. O ideal é sempre levar um mecânico para realizar uma vistoria. “Na euforia da compra, muitos detalhes do carro não são conferidos, principalmente no que se refere aos cuidados com a manutenção e itens de segurança, o que poderá ocasionar complicações futuras”, ressalta a diretora do Procon, Ana Paula Satcheki.

Outra dica é relacionar na própria nota fiscal ou em outro documento as reais condições do veículo, como, por exemplo, se houve substituição de peças do motor, avarias de pintura, a realização de manutenções obrigatórias e facultativas, relativas à troca de óleos e fluídos, bateria, correias, fusíveis, entre outros.

Se após a compra, o carro apresentar problemas, o consumidor deve se dirigir à loja para exigir reparação. Pelo Código de Defesa do Consumidor, o prazo de garantia legal de qualquer produto é de 90 dias. “Se no período máximo de 30 dias, após o comunicado, não houver solução do caso, a pessoa pode procurar o Procon para formalizar a reclamação, visando um acordo entre as partes”, orienta Ana Paula.

Dentro dos seus direitos, determinados pelo Código de Defesa do Consumidor, o comprador poderá exigir a devolução do dinheiro, substituição do produto por outro ou mesmo o abatimento proporcional do preço. “Isso só vale para as compras feitas em estabelecimentos comerciais, cuja atividade praticada é a revenda de veículos usados, ou, como muitos costumam dizer, no estado em que se encontram”, explica a diretora. Outra questão importante é conferir toda a documentação do carro junto ao Detran, pois pode haver pendências, como o não pagamento de multas e alienação. “O veículo poderá, inclusive, ter sido furtado e usado em ações criminosas”, enfatiza a diretora.

Ana Paula acrescenta que antes de concluir a venda, o comprador deve esclarecer todas as suas dúvidas, e exigir a nota fiscal do veículo.

No Procon de Santo André, o número de atendimentos relacionados à compra de carros usados alcançou 92 em 2010. Já de janeiro a 11 de maio deste ano foram 114 acionamentos, cujos principais problemas foram garantia, multa, transferência, não entrega de documentação, alienação e produto entregue com danos ou defeitos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *